Comportamento

Como posso evitar te amar?

quinta-feira, julho 05, 2018 | 10 comentários
Foto: We heart it
Falar é fáci
agora, resolver
já não posso dizer
e sobre você
confesso: tenho medo de perder

Te ter é como uma incerteza pra mim
a qualquer momento pode ter fim
por mais que o que eu sinta seja tão forte
quanto a gravidade que nos puxa pra baixo
não posso evitar que me faça escorrer lágrimas abaixo

A incerteza é tão desconfortável
quanto o silêncio entre nós quando não achamos algo para falar
acho que é destino nosso se separar
mas como posso evitar te amar?
Livros

Resenha: Um ano bom

sábado, maio 26, 2018 | 12 comentários
Foto: Marinspira
Essa resenha NÃO contém spoilers
Autor: Ana Faria
Editora: Letramento
Páginas: 320
Minha nota: ★★★★
Onde comprar: Saraiva // Letramento
❤ Livro cedido pela editora
Sinopse: 
Christopher é um aluno querido na escola, sempre cercado de amigos e garotas. Vivendo seu último ano do Ensino Médio, com uma vida confortável até então, Chris vê seu mundo abalado quando uma nova aluna surge na classe, atraindo seu interesse e despertando em seu coração sentimentos nunca antes experimentados. A princípio Chris e Clara pareciam ser incompatíveis, mas na medida em que vão se conhecendo, muito do que acreditavam começa a ser questionado e o amor surge inexplicavelmente.
Em seu último ano do ensino médio, após ser convidada a se retirar da antiga escola (leia-se expulsa), Clara, a novata, não é uma garota convencional. Carregando traumas do passado e problemas familiares, ela tenta não se meter em confusão mais uma vez e agir como se não estivesse ali, o que parece praticamente impossível com os seus cabelos vermelhos e seu estilo completamente diferente, ainda mais quando Cristopher, o popular da turma, tenta se aproximar dela.

Depois de muitos foras, que duram algumas páginas, a menina, ainda insegura e com medo de não ser suficiente ou desse "amor" que o garoto diz sentir não passe de armadilha dele e dos amigos para que ela seja motivo de piada, ela finalmente se rende a Cris, que realmente está completamente encantado por ela.

Mas o "felizes para sempre" desse relacionamento complicado não começa por aí, aliás, Jéssica, a ex-namorada de Crishtopher que não aceita o término do relacionamento, faz de tudo para que esse final feliz não aconteça, mesmo não sabendo do relacionamento, que até então é secreto. Porém, aos poucos, percebemos que o que parecia ser incompatível e impossível, poderia ser facilmente chamado de "alma gêmea" e encontro perfeito. Aliás, de uma compatibilidade dessas não se deve desistir fácil assim.

Sim, Um ano bom é sim um livro beeeem clichê, porém, com uma grande diferença das demais: a emoção. Não é apenas dois adolescentes completamente diferentes que se apaixonam. É além disso. Nos mostra diversos lados e trata de diversos assuntos que as vezes optamos deixar de lado, mas que realmente precisam ser discutidos (tais como gravidez na adolescência, bullying, fé, superação, aceitação, perdão, autoconfiança e violência doméstica).

O livro é narrado em terceira pessoa (o que, pra mim, no início, foi um problema, mas logo se tornou uma leitura incrivelmente confortável), tem uma capa muito detalhada e simples ao mesmo tempo, o que se torna harmônico e chamativo (sim, eu o compraria pela capa), um enredo maravilhoso e personagens super complexos que você pode rapidamente se identificar (eu, por exemplo, me identifiquei demais com a Clara).

Não tenho o que reclamar, entretanto, é notável alguns erros de edição, o que mesmo assim, não se torna um problema, pois pode facilmente passar despercebido pela empolgação que a leitura proporciona.

Resumindo, Um ano bom é um livro maravilhoso, que nos ensina diversas coisas, nos faz se sentir como se estivéssemos passando pela situação dos personagens - o que poucos livros conseguem proporcionar e nos emociona a cada página com o romance lindo e improvável de Clara e Crish.

Esse é, pra mim, um livro muito especial: o primeiro livro da minha primeira parceria com o blog. Não só o livro em si, como também sua história, que me mostrou que as vezes a vida pode nos guiar para o caminho que achamos errado para que possamos chegar a estrada certa. E eu agradeço imensamente a editora por essa parceria! Obrigada, Letramento!
aleatoriedades

15 posts para escrever mesmo em pleno o bloqueio criativo #2

quinta-feira, maio 10, 2018 | 10 comentários
Foto: We heart it
Ultimamente, eu estou me sentindo a prova viva que é quase impossível deixar tudo em dia. Por mais que queiramos nos dedicar, temos que aceitar o fato de sermos apenas um e ainda não termos uma tecnologia que nos permita criar clones hehe. Então, acho mais que necessário dar mais algumas ideiazinhas para vocês que, assim como eu, também estão perdidas e querem atualizar o sitezinho de vocês de uma forma rápida! Vamos lá para a parte 2 de superideias para posts?

PARTE 1: 20 posts para escrever mesmo em pleno o bloqueio criativo

01. Wishlist de livros de tal editora;

02. Wishlist de tal peça (sapatos, vestidos, acessórios, etc);

03. Páginas no Facebook que vocês precisam conhecer;

04. Minhas músicas preferidas de tal cantor;

05. Lojinhas que vocês precisam conhecer;

06. X lugares legais do mundo para conhecer;

07. Séries/filmes/livros que todo mundo já assistiu/leu e eu não;

08. Séries/filmes/livros que todo mundo ama, menos eu;

09. Fotos para se inspirar (você pode pegar várias fotos legais no tumblr e outros aplicativos de fotos, editar e escrever um post incrível!);

10. Peças que não podem faltar no meu guarda-roupa; 

11. Sites que toda blogueira precisa conhecer;

12. Blogs com resenhas/textos/dicas incríveis que vocês precisam conhecer (não esquece de indicar o Marinspira, hehe);

13. Fontes maravilhosas para você baixar de graça;

14. X motivos para assistir/ler tal filme/série/livro;

15. Melhores clipes de tal cantor/ano;

Espero que tenham gostado das ideias ;)
Livros

Resenha: Meu coração e outros buracos negros

sexta-feira, abril 27, 2018 | 12 comentários
Essa resenha NÃO contém spoilers
Autor: Jasmine Warga
Editora: Rocco
Páginas: 305
Minha nota: ★★★★
Onde comprar: Saraiva // Amazon
Sinopse: 
Qual é o sentido de acordar todas as manhãs se seu coração parece um buraco negro cada vez maior? Aysel tem dezesseis anos e não quer mais viver – só está à espera do momento certo para acabar com a própria vida. Há apenas um problema: ela não sabe se tem coragem de fazer isso sozinha. Quando conhece Roman em um site de suicídio, ele parece o cúmplice perfeito para seus planos. Aysel e Roman não têm nada em comum, mas aos poucos começam a preencher a vida um do outro. No entanto, seu pacto de suicídio torna-se mais concreto a cada dia, e, à medida que os dois planejam a morte conjunta, Aysel começa a perceber que os encontros com Roman a deixam feliz, que seu coração também pode ser leve e alegre. E de repente a ideia de terminar com tudo começa a parecer insuportável. Aysel precisa lutar. Por sua vida. Pela vida dele. E pelo amor dos dois.
Em Meu coração e outros buracos negros, conhecemos Aysel, uma adolescente incrível de dezesseis anos que diz estar sendo consumida por uma lesma preta, a depressão. Cansada de ouvir piadinhas, se culpar e ser culpada por um crime que seu pai cometeu, Aysel decide se matar. Mas, com medo de não conseguir fazer isso sozinha, ela decide entrar em site onde pessoas procuram outras que também querem morrer para fazerem isso juntas. E é lá que ela conhece RobôCongelado, ou melhor, Roman, um garoto completamente o oposto dela que está disposto a acabar com tudo no dia sete de abril.

Conforme vão se conhecendo e os dias vão passando, Aysel se questiona cada vez mais se é isso mesmo que deseja fazer e se essa  é mesmo a solução de seus problemas. E para complicar ainda mais, ela percebe que sente uma pequena faísca de felicidade quando eles estão juntos, o que começa a mudar a cabeça da menina e a fazer lutar não só pela própria vida, mas também pela vida de Roman, o que cabe a nós, leitores, descobrir se ela irá conseguir.
[...] Se eu tivesse um namorado, seu nome seria Suicídio. E tenho certeza de que Roman também está apaixonado por ele. É como um triângulo amoroso que dá errado. Ou talvez seja um triângulo amoroso que vai dar certo: nós dois vamos ficar com o cara em sete de abril.
Com uma capa simples e um nome muito chamativo e interessante, Meu coração e outros buracos negros passa uma mensagem muito linda e emocionante de esperança, superação e perspectiva do mundo e da maneira como enxergamos as coisas, mesmo as mais simples, e como lidamos com elas.

É um romance super detalhado, com uma narração espetacular em primeira pessoa pela própria Aysel – o que faz a escrita fluir surpreendentemente –  e contado conforme os dias se passam, o que faz com que o leitor consiga facilmente imaginar a cena, e deixa os acontecimentos mais fáceis de serem compreendidos, além aquele ar de ansiedade pelo tão esperado dia sete de abril.
[...] E talvez a lesma preta sempre viva dentro de mim. Talvez eu sempre tenha dias ruins quando o peso parecer insuportável. Mas, por mais brega que soe, talvez os bons dias façam valer a pena passar pelos ruins.
Os personagens também são muito complexos e bem descritos, principalmente Aysel (acho que por isso amei tanto ela, desde o início). Já Roman fica um pouco para trás, mesmo também sendo incrivelmente bem descrito em todos os aspectos, por não conter ao menos um capítulo mostrando como ele via toda aquela situação (o que seria maravilhoso), mas sim apenas o ponto de vista da Aysel em relação a tudo.

Também confesso que fiquei um pouco decepcionada com a rapidez em que a trama foi desenvolvida nas últimas páginas e da maneira que os personagens começaram a tomar suas atitudes, o que deixou a história um pouco menos surpreendente, e seu fim um pouco vago em relação a como a situação realmente é na vida real, uma observação que a própria autora faz em sua nota nas últimas páginas. Mas não é nada que possa tornar Meu coração e outros buracos negros uma obra ruim ou algo parecido, até porque é completamente o oposto disso.

É o exemplo de obra, que aborda um assunto delicado que realmente precisa ser tratado escrito da forma mais delicada e direta possível, que por mais que tenha alguns detalhes não muito positivos, não tem como não se apaixonar.
aleatoriedades

Cartas de sexta-feira #1

sexta-feira, abril 20, 2018 | 8 comentários
Embora sumida, e de volta às aulas (tá corrido, viu?), eu tenho procurado coisas que me façam pensar a respeito do que achamos normais por já estarmos acostumados, mas que se pararmos para questionar, não fazem o menor sentido ou, não temos a menor ideia do que é e do por quê sentimos. E nessa minha busca, eu encontrei textos incríveis, que sinceramente, o mundo todo deveria ler. Mas como eu não posso mostrar pro mundo, vim compartilhar com vocês, que fazem parte do meu mundo. E aí, preparados para a filosofia dos sentimentos?

O primeiro texto fala exatamente sobre o que mais nos questionamos: o que é o amor. Da forma mais simples e compreendível possível, o texto expressa em suas palavras que o amor não é aquilo que sabemos sobre ele. Mas afinal, o que sabemos sobre ele? (leia aqui)

Já o segundo texto, é escrito em forma de carta sobre a aceitação e os sentimentos que restaram após o fim de um relacionamento, em um deles. É um texto sensível e muito bem escrito, que faz com que quem já sentiu esse sentimento e passou pela situação, relembre, sinta o gosto novamente. (leia aqui)


No terceiro, temos como exemplo o romance de Robin e Ted e suas atitudes em si, da série How I met your mother. Somos mostrados a forma em que as pessoas se relacionam e de como é fácil encontrar hoje em dia pessoas como a senhorita Scherbatsky: que não quer, mas continua a cativar. É um texto incrível e, se você quer sinceridade @, com esse texto é sinceridade que você terá! (leia aqui)



E aí, gostou das indicações? Deixe seu comentário aqui em baixo!