Comportamento

Como posso evitar te amar?

quinta-feira, julho 05, 2018 | 10 comentários
Foto: We heart it
Falar é fáci
agora, resolver
já não posso dizer
e sobre você
confesso: tenho medo de perder

Te ter é como uma incerteza pra mim
a qualquer momento pode ter fim
por mais que o que eu sinta seja tão forte
quanto a gravidade que nos puxa pra baixo
não posso evitar que me faça escorrer lágrimas abaixo

A incerteza é tão desconfortável
quanto o silêncio entre nós quando não achamos algo para falar
acho que é destino nosso se separar
mas como posso evitar te amar?
aleatoriedades

17 Fontes cursivas grátis para você baixar agora

sexta-feira, março 30, 2018 | 3 comentários
Foto: We heart it
Se você, assim como eu, também é a louca das fontes no Photoshop ou até mesmo no Word, esse post é pra você! Hoje eu separei algumas fontes que são as minhas queridinhas da vida, para compartilhar com vocês. E o melhor: todas elas são gratuitas! Confere só se elas não são maravilhosas.. Ah, e claro, não se esquece de me contar nos comentários qual você mais gostou! 

LINKS PARA DOWNLOAD

Dicas

4 séries curtas para assistir no final de semana

sexta-feira, março 16, 2018 | 11 comentários
Se você se cansou de só atualizar, atualizar e atualizar séries que parecem que não tem fim e quer dá uma pausa e sair da mesmice, esse post é pra você! Hoje eu ou te indicar quatro séries bem curtinhas para você devorar em, no máximo, três dias e sair da mesmice! Confira:

THE END OF THE F**KING WORLD
Nessa série britânica nem um pouco convencional, vamos conhecer dois adolescente ~um pouco~ diferentes: James, um garoto de 17 anos que acredita ser um psicopata e carrega consigo o objetivo de matar uma pessoa e Alyssa, uma rebelde que vive uma vida um tanto complicada. Juntos, eles decidem fugir em busca da liberdade do cotidiano entediante; Mas parece que as coisas nem sempre saem como o planejado.
Temporadas: 1 (tempo total: 2 horas e 44 minutos)
Episódios: 8 

CHEWING GUM
Nessa comédia também britânica, você vai acompanhar os dias da virgem Tracey de 24 anos, de uma família muito conservadora e religiosa, que decide de sair de vez da sua zona de conforto e explorar o mundo. E o primeiro passo para viver essas novas experiências, é perder a virgindade.
Temporadas: 2 (tempo total: 4 horas e 40 minutos)
Episódios: 6 por temporada

BLACK MIRROR
Já Black Mirror, outra série britânica (juro que não foi intencional), por sua vez de ficção científica e com episódios totalmente independentes um dos outros, conhecemos diversas histórias de diferentes pessoas de um futuro tecnológico que vivem as consequências imprevistas dessa tecnologia. Será essas novas tecnologias, um problema?
Temporadas: 4
Episódios: vária de 3 a 6

BIG MOUTH
Já Big Mouth é uma série animada de comédia adulta onde Nick, Andrew e seus amigos estão vivenciando a fase mais assustadora e engraçada da vida: a puberdade. E mesmo enfrentando a ~difícil~ fase e seus desafios, eles ainda sim encontram muita diversão pelo caminho.
Temporadas: 1 (tempo total: 4 horas e 22 minutos)
Episódios: 10

Eu já assisti as quatro e amei! E você, já assistiu alguma ou vai aproveitar essas indicações para sair da mesmice, pegar a pipoca, ligar a tv agora e dar o play? Me conta aqui nos comentários!
Comportamento

Sentir é necessário

sexta-feira, março 02, 2018 | 16 comentários
Foto: We heart it
Jurei que ia te esquecer, mas sem querer, abri sua foto e me conformei que estava morrendo de saudades e que esse não é o primeiro texto que escrevo pra ti depois de jurar te esquecer, porque eu sei que estava mentindo pra mim mesma quando eu dizia que todos aqueles textos estavam sendo criados pela minha imaginação, sem nenhum sentimento real.

Sua falta está me fazendo perder o ar. Fazendo meu coração, aos poucos, parar de bater. E esse era o meu pior medo: me apaixonar por você. Logo por você, que eu conheço melhor que ninguém e logo eu, tão acostumada a deixar as pessoas irem por não querer força-las a ficar e as impedirem que achem alguém que as façam tão feliz quanto um dia eu poderia fazer, sem muito esforço.

Não acredito em alma gêmea, metade da laranja ou coisas do tipo. Acho que no mundo existem milhares de pessoas iguais a mim, que assim como você, faria uma boa dupla comigo por um tempo, ou até mesmo, por toda a vida. Por isso, te deixei ir. Você sabe. Você também percebeu que o nosso pequeno infinito estava chegando ao fim e não havia mais nada que pudéssemos fazer, fim. Por isso, também aceitou e se foi.

Confesso que estou lembrando de nós e com uma vontade imensa de te ligar, mandar uma mensagem dizendo que estou com saudades e me desculpar por isso, por tudo, por coisas que eu sei que não foi minha culpa e muito menos sua, apenas tinha que acontecer. Mas eu não vou fazer isso. Por mais que a saudade aperte e que de alguma forma que eu não sei explicar, doa. Eu não posso te querer se você já está em outra. Acabou. Ponto. Aceite isso.

E eu estou te escrevendo essa carta que nunca será enviada, só para me convencer disso e aceitar que os dias dos nossos dias infinitos chegaram ao fim e que por pior que seja, eu preciso sentir isso. Aceitar que faz parte. Acreditar que daqui a pouco a minha próxima alma gêmea aparecerá e vai ficar tudo bem. Ou talvez, a dor venha como brinde, de novo. Mas tá tudo bem. Vai ficar tudo bem. Sentir é necessário.
Esse texto é apenas uma crônica escrita pela autora do blog, Mari Ferreira.
Comportamento

Amor de quatro dias

sexta-feira, fevereiro 16, 2018 | 31 comentários
Foto: We Heart It
Foi no primeiro dia de Carnaval, naquele bloco que eu nem tinha planejado ir, que nos conhecemos. Eu estava parada na calçada observando as pessoas e com um copo de refrigerante na mão, quando você veio me convidar para dançar. Lembro que você estava super engraçado com aquela fantasia que eu não fazia ideia do que era e que eu disse que estava com vergonha, mas você insistiu e eu acabei aceitando. Eu precisava mesmo perder aquela timidez e marcar aquela noite. E você fez isso, marcou aquela noite. Não só aquela como também as outras três que vieram. E foi maravilhoso.

Dançávamos totalmente fora do ritmo da música, uma dança que parecia já estar ensaiada, como se já nos conhecêssemos a anos. Você ria e eu observava o seu jeito menino, meio homem, aquela sua barba ruiva que parecia te deixar mais velho, o seu olhar que parecia ser tão puro quanto de uma criança e apreciava o seu sotaque engraçado enquanto você cantava aquela música que tocava que eu nunca havia escutado.

Você era encantador, e sem muita cerimônia, eu me encantei.

Pra ser sincera eu não acreditava que amores de Carnaval pudessem realmente existir, ser além daquilo que se passa nos filmes, até você aparecer e me mostrar que a vida é muito mais que filmes. Muito mais que pessoas com um celular na mão e fones nos ouvidos. Mais que juras de amor eterno que não passarão de duas semanas e até mesmo de fidelidade que jamais existirá.

Confesso que por alguns minutos eu passei desejando que os relógios parassem e que você jamais fosse embora, só para fazer do nosso amor, eterno, ou pelo menos, próximo a isso. No início, foi difícil pra mim entender o porquê de você precisar ir, não querer ficar. Pra ser sincera, eu ainda não entendo. Mas quer saber? Nesses quatro dias -que por sinal, foram incríveis-, você me ensinou muitas coisas, e uma delas é que alguns amores não duram para sempre ou, mais que apenas quatro dias.